Gestão transparente: Secretário de Saúde participa de sessão ordinária na Câmara de Vereadores

secretario de saude mateus

O Secretário Municipal de Saúde, Eberson Mateus, participou da sessão ordinária desta segunda-feira (18), para esclarecer dúvidas dos vereadores a respeito do funcionamento da secretaria e o que tem sido feito para deixar o serviço mais funcional. A presença foi solicitada pelo vereador Adelar Fusinato (DEM).

Durante sua fala inicial o secretário agradeceu o convite e reforçou a importância de participar de momentos no qual é possível contribuir, esclarecendo as dúvidas da população a respeito do funcionamento e organização da secretaria, primando sempre pela clareza e transparência em sua gestão.

“Estou aqui pra isso, pra deixar mais claro o trabalho da Secretaria de Saúde, como estamos organizados para a oferta da assistência, tanto da Atenção Básica, como da média e alta (complexidade), em nosso município. Vim aqui para contribuir e deixar as informações mais expostas a vocês”, explicou Mateus.

Todos os questionamentos e dúvidas foram respondidos pelo secretário que salientou que às vezes alguns acontecimentos desconfiguram o trabalho, visto que “a saúde é muito dinâmica, a gente não consegue todos os dias chegar com uma rotina de trabalho, porque cada dia temos uma novidade, seja um afastamento, um problema de saúde, e a população quer um atendimento imediato. Estamos tentando fazer o possível, mas às vezes sai um pouco do controle devido a estas demandas do fluxo de trabalho”. Um exemplo dado por ele aconteceu na semana passada, na qual seis médicos da secretaria municipal estavam afastados por motivo de saúde.

Um dos questionamentos do vereador Adelar Fusinato foi a respeito das intenções para o Centro de Saúde, frente a sobrecarga do Hospital Regional. Mateus explicou que a obra já começou e dentro de aproximadamente 6 meses, o Centro vai ter um Pronto Atendimento, ficando lá somente as especialidades de Saúde Bucal, Laboratório, Regulação, Farmácia Central e o Pronto Atendimento. Porém, reforçou “o acesso do Hospital Regional é porta aberta então se a população não mudar a cultura que tem que procurar primeiro os nossos serviços e a parte administrativa do Hospital Regional entender que tem que ter uma triagem para entrar lá, a população vai continuar indo direto pro hospital.”

Sendo assim, pontuou que é preciso um melhor entendimento do funcionamento das unidades municipais, tendo as ESFs e UBSs (Atenção Básica) como a principal porta de entrada aos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), reforçando que a triagem é extremamente necessária para garantir o atendimento de acordo com a gravidade de cada situação, melhorando o fluxo e priorizando aqueles que necessitam de atendimento imediato. Sendo, portanto, fundamental para a agilidade e o bom funcionamento dos serviços de saúde.

Outros assuntos relacionados ao Covid, fila de espera, especialidades, passagens, medicamentos e serviços de resgate foram discutidos.

Acompanhe a sessão na íntegra logo abaixo ou clique aqui e veja a participação do secretário.

Por Assessoria de Comunicação Saúde